MANUEL
LINHARES
PLUS, YOU CAN
FOLLOW ME HERE

MUSIC

SUSPENSO (2022)

Em suspenso: o mundo, o tempo, a respiração. Resistir como acto de criação. Criar como acto de resistência. “Suspenso” é a forma que a música toma nesse silêncio, a forma que a música toma nesse isolamento, escapando dos seus limites físicos, procurando um outro mundo, um outro tempo, uma outra respiração.

Depois de “Traces of Cities” (2013) e “Boundaries” (2019), o cantor Manuel Linhares lança este novo álbum “Suspenso”. Um trabalho apoiado pela DGartes, lançado pelo carimbo Porta-Jazz e que conta com um extraordinário elenco de músicos nacionais e internacionais que trabalharam parcialmente à distância, procurando desafiar os limites físicos impostos por esta pandemia.

Com produção e participação do multi-instrumentista brasileiro António Loureiro, que juntou à banda de Manuel Linhares - Paulo Barros no Piano e José Carlos Barbosa no Contrabaixo - a participação especial do Coreto Porta-Jazz, do saxofonista americano David Binney ou dos brasileiros Frederico Heliodoro, Rubinho Antunes e ainda Alexandre Andrés. Um elenco internacional que contou ainda com um arranjo do conceituado pianista argentino Guillermo Klein e ainda com uma letra da rapper e letrista Capicua.

Com este seu terceiro álbum, Manuel Linhares reforça os seus argumentos dentro do panorama do jazz português, onde para além de se salientar como uma das poucas vozes masculinas da actualidade, apresenta também um trabalho inteiramente composto por repertório original e de enorme criatividade.

“um belo álbum que, com sólidos argumentos, finalmente guinda Manuel Linhares para um merecido lugar na primeira linha do jazz nacional.”
António Branco in Jazz.pt – Fev 2022

In suspension: the world, time, breathing. Resist as an act of creation. Create as an act of resistance. “Suspenso” is the form that music takes in that silence, the form that music takes in that isolation, escaping its physical limits, looking for another world, another time, another breath.

After “Traces of Cities” (2013) and “Boundaries” (2019), the Portuguese singer Manuel Linhares releases his new album “Suspenso”. A work funded with a grant by DGartes (Portugal Ministry of Culture), edited by carimbo Porta-Jazz and featuring an extraordinary cast of national and international musicians who worked partially remote for this recording, seeking to challenge the physical limits imposed by this pandemic.

With the musical production in charge by the Brazilian multi-instrumentalist António Loureiro, this record brings together Manuel Linhares’ band – Paulo Barros on Piano and José Carlos Barbosa on Double Bass – with the special guests: Coreto Porta-Jazz; the American saxophonist David Binney and the Brazilians: Frederico Heliodoro, Rubinho Antunes and Alexandre Andrés. An international cast that also features an arrangement by the renowned Argentine pianist player Guillermo Klein and even a lyric by the rapper and lyricist Capicua.

With this third album, Manuel Linhares reinforces his arguments within the Portuguese jazz scene, where in addition to standing out as one of the few male voices, he also presents a work entirely made of original repertoire with enormous creativity.

“a beautiful album that, with strong arguments, finally lifts Manuel Linhares to a well-deserved place at the forefront of the Portuguese jazz scene.”
António Branco in Jazz.pt – Feb 2022
BOUNDARIES (2019)

“Boundaries” é um álbum de composições originais, ora em Português ou Inglês, que tentam reflectir sobre as preocupações e inquietações do mundo actual e o lugar que cada um pode ocupar numa sociedade atravessada por fronteiras, separações e limites. Por outro lado, esses limites referem-se também às condições da nossa própria existência, de uma vida que procurando encontrar o espaço da sua liberdade, não deixa de se confrontar com o seu isolamento e com os seus limites.

Enquanto gesto de criação artística, talvez pertença à música a função de não deixar de estar atento a este ruído do mundo, reflectir sobre ele e fazer dele música.

Manuel Linhares é acompanhado pela sua extraordinária banda composta por: Paulo Barros ao piano, José Carlos Barbosa no contrabaixo e João Cunha na bateria.

Entirely made of original compositions, whether in Portuguese or English, this album reflects the worries and concerns of the world we are currently living in. A society marked by boundaries, separations and segregations. But this idea of limits is also related to the conditions of our own existence, a life that seeks to find the space of its freedom, while confronting itself with isolation and its own boundaries.

As a gesture of artistic creation, perhaps music is a way of being aware of this world's noise, reflecting about it and making music from it.

Manuel Linhares is accompanied by his extraordinary band, with Paulo Barros on piano, José Carlos Barbosa on double bass and João Cunha on drums.
TRACES OF CITIES (2013)

Com uma linguagem fortemente marcada pelo jazz, este é um álbum sobre cidades, sobre os seus espaços e formas, sobre aquilo que fica no silêncio da memória e que já só a música pode recordar. Traços são músicas, linhas perdidas, contornos, pequenas impressões, melodias frágeis, uma voz que se suspende subtilmente por entre os ritmos incessantes dessas cidades.

Neste projecto Manuel Linhares teve o prazer de contar com a participação de grandes músicos Portugueses e Espanhóis. Com Paulo Barros no piano, José Carlos Barbosa no contrabaixo, Filipe Monteiro na bateria, Rui Teixeira no saxofone alto e clarinete baixo, e ainda como convidado especial Xosé Miguelez no saxofone tenor.

This is an album about cities, their spaces and forms, about what stays in the silence of the memory and only music can remember. Traces are songs, outlines, impressions, fragile melodies, a voice that is suddenly suspended among the unceasing rhythms of these cities.

In this work Manuel Linhares has gathered a superb band of Portuguese and Spanish musicians. With Paulo Barros on piano, José Carlos Barbosa on bass, Filipe Monteiro on drums, Rui Teixeira on bass clarinete and alto saxofone, and the special guest Xosé Miguelez on tenor saxofone.